Il Blog di Geronimo

No Reino da Fantasia em Busca do Anel da Paz

20 Outubro 2014


A Manuela Oliveira foi vencedora do Passatempo "Quinta Viagem ao Reino da Fantasia"... vejam só a história extrarrática que ela escreveu!


Olá, Sou a Manuela Oliveira e vou contar-vos quando eu e o meu primo Geronimo Stilton fomos ao reino da fantasia em busca do anel da paz.

Tudo começou numa calmíssima manhã em Ratázia quando ouvi tiros. Espreitei pela janela do meu quarto e vi que era um exército de gatos e vinham com cara de poucos amigos.

Decidi ligar ao Gerónimo que estava a ler um livro sobre os segredos de Ratázia. Ele disse para nos encontrarmos no Diário dos Roedores, e assim foi.

- Gerónimo, vem aí um exercito de Gatália a caminho de Ratázia.
- Oh, não, alguém roubou o anel da paz! -
- O anel da paz?!
-Sim! O anel que mantêm a paz entre a Gatália e a Ratázia. Ele para funcionar tem que estar posicionado na fronteira entre a ilha dos gatos e dos ratos.
- E agora? perguntei
- Teremos que devolver o anel ao seu sítio, aposto que isto é obra da Sally Rasmusen que fez isto por um furo! Vou chamar o Benjamim e a Tea.

Metemo-nos á estrada e eu e o Gerónimo explicamos-lhes o que se passou, entretanto o Esparrela que passou pelo diário dos roedores para ir buscar um bocado de queijo do cofre do Gerónimo comentou:
-Eh pá o anel da paz, perdi alguma coisa?

O Gerónimo ignorou e continuou
- Eu acho que foi a Rasmusen que fez isto por um furo! Preparem as malas porque vamos viajar até a fronteira da Gatália e Ratázia.

O que nós não sabíamos, era que a Rasmusen mandou colocar um microfone no escritório e conseguia ouvir toda a conversa, então seguiu-nos até ao aeroporto e entrou na nossa avioneta.

Tudo ia bem até que houve uma falta de combustível repentina e a avioneta despenhou-se.

Felizmente aterramos todos bem, mas estávamos perdidos.
- Benjamim, vê no teu benpad onde estamos, disse o Gerónimo.
- Estamos a 5 dias de distância da fronteira entre a Gatália e a Ratázia.
- Esperem! Não podemos ir para a fronteira! Falta-nos o anel. Precisamos dele se o queremos devolver - disse a Tea.
Entretanto, ouvimos gritos e fomos espreitar, eram os gritos da Sally que ficou presa a uma arvore.
- De que estão é espera?! Ajudem-me seus parvos, disse a Sally aos seus capangas.
Eles ajudaram-na a descer da árvore e ela disse:
- Pronto, agora peguem-me ao colo. Temos de ir buscar o anel ao reina da fantasia e destrui-lo.
- O reino da fantasia! É lá que o anel está! Temos que chegar lá primeiro que a Sally e devolver o anel ao seu sítio - disse a Tea.
- Sim! dissemos todos
- Ben vê no teu Benpad o caminho para o reino da fantasia.
- Não tenho rede! disse o Benjamim
- Gerónimo no teu livro de segredos de Ratázia não tinha lá um mapa? perguntei
- Sim, por sorte trouxe-o, reponde ele

Gerónimo consultou o livro e viu que o caminho era sempre em frente.

Seguimos em frente e passado pouco tempo vimos uma placa que dizia Reino da Fantasia.

Mas o reino era tão grande que nós não sabiamos onde procurar o anel.

Perguntamos a uma pessoa por quem passamos e ela disse-nos que o anel estava guardado na pirâmide do reino.

Fomos até lá e o Benjamim perguntou:
-É aqui que o anel está?
- Sim Benjamim, disse-lhe eu

Entramos todos na pirâmide e deparamo-nos com umas pedras quadradas no chão com imagens de animais gravados. Não sabíamos como atravessar em segurança. Até que o Gerónimo se lembrou que no livro de segredos de Ratázia dizia que antigamente no reino da fantasia estimavam muito os gatos, então nós atravessamos as pedras calcando apenas as imagens dos gatos.

Depois de atravessar este caminho deparamo-nos com uma sala com muitos botões e apenas um deles abriria a porta.

Analisamos as carateristicas da porta e esta tinha desenhada a antiga rainha do reino da fantasia.
- É fácil, o botão que tem o gato, afinal eles gostavam dos gatos, disse eu.
- Isso é verdade, mas pelo que eu vi no livro a rainha tinha medo do escuro e por isso gostava de ver o sol, disse o Gerónimo.

Carregamos no botão que tinha desenhado o sol, e a porta abriu-se.

À nossa frente estava um grande salão, e no meio do salão, uma mesa de pedra com uma pirâmide no centro da mesa e em cima da pirâmide estava o anel.

Se tirasse-mos o anel, a pirâmide entrava dentro da mesa, accionava um botão e o teto por cima de nós desabaria.

Então pensamos, e encontramos uma solução. Teríamos que substituir o peso do anel.

Procuramos em nossa volta e logo encontramos uma pedra na medida exata do que precisávamos.

Com muito jeitinho e perícia, o Gerónimo tirou o anel ao mesmo tempo que colocava a pedrinha. Conseguimos!

Muito contentes, lá íamos nós com o anel a caminho da fronteira quando encontramos a Sally e os seus capangas que logo tentaram tirar-nos o anel.

No meio da confusão, aparece o Esparrela com um dirigível e lança uma escada.

Logo o Gerónimo me atira o anel, eu salto para a escada enquanto os outros se tentam livrar da Sally e dos capangas.

Sozinha com Esparrela fomos para a fronteira onde colocamos o anel da paz no seu devido lugar.

As guerras acabaram, o Gerónimo, a Tea e o Benjamim voltaram para casa onde nos encontramos todos do diário dos roedores para tomar uma bela chávena de chá.

Escreve um comentário

Comentários

  • amador de livros

    amador de livros

    Publicado
    2016-01-05

    Gostava de ter um

  • estrelinha

    estrelinha

    Publicado
    2015-05-24

    eu adoro este livro

Geronimo Stilton World
Geronimo Stilton World